Quando optar por uma abdominoplastia: saiba quando e para quem é indicada essa cirurgia

em 02 julho 2019




Oi meu bem!

Muitas pessoas sonham em conquistar o abdômen dos sonhos, não é mesmo?

Mas certos casos parecem impossíveis: apesar de perder peso, sempre acaba sobrando aquele excesso de pele com flacidez na região. 

Graças ao avanço da medicina, a abdominoplastia promete ser a solução para muitas pessoas que têm esse tipo de problema!



Pronta para saber mais sobre o assunto? Continue sua leitura até o final!

Entendendo o que é a abdominoplastia

abdominoplastia é uma cirurgia plástica capaz de revitalizar a região abdominal, retirando o excesso de gordura localizada e de pele e recuperando a firmeza dos músculos da região.
Algumas pessoas também utilizam essa cirurgia para remover estrias localizadas na região – fato que é permitido graças à remoção de pele cirúrgica.  

Quem deve fazer o procedimento?

Após o parto, é comum que algumas mulheres apresentem diástase. Essa situação é responsável pelo afastamentos dos músculos e tecido conjuntivo da região e geram grande flacidez no abdômen. Por esse motivo, pessoas que tiveram diástase dos músculos reto abdominais são as mais indicadas para se submeterem à cirurgia.  
Além da diástase, a técnica é bastante recomendada para pacientes que tiveram várias gestações, apresentam “sobra de pele” decorrente da perda de peso, possuem muitas estrias na região ou que tem depósitos de gordura no abdômen. Em geral, o fator comum de todos os casos leva à flacidez da região.  
É importante que todo paciente passe por uma avaliação médica  precisa que determine se o caso é indicativo para uma abdominoplastia  ou para outro tipo de procedimento. 

Quando a cirurgia não é indicada?

Muitas pessoas acham que a abdominoplastia pode ser responsável pela resolução de um quadro de obesidade. E estão enganadas!
A técnica não é substitutiva da prática de exercícios físicos e uma alimentação balanceada, que permitem a efetiva melhora do quadro de obesidade. Por este motivo, quem decide se submeter à cirurgia precisa estar relativamente em forma e com a saúde em dia. 
Existem contraindicações nos casos de quem pretende engravidar futuramente ou cenários que preveem grandes ganhos de pesos após a cirurgia. 
Além de fatores fisiológicos e estéticos, é importante lembrar que nem todas as pessoas estão aptas a se submeterem a procedimentos cirúrgicos pois alguns problemas de saúde podem ser impeditivos de realização de cirurgia plástica, como: problemas cardíacos, obesidade, alterações na coagulação sanguínea, risco de trombose aumentado, diabetes não controlada e fumantes. 
Através de exames e análises, o cirurgião especialista estará apto a dizer se o paciente está em condições de realizar a cirurgia.

Como funciona a cirurgia?

A cirurgia é realizada com anestesia e sedação, não sendo necessário mais que um dia de internação no hospital. O tempo de duração varia entre os casos e depende da quantidade de tecido a ser removido, da extensão do procedimento e da realização de outras técnicas em conjunto, mas em geral leva entre uma a três horas. 
Durante o procedimento, o cirurgião realiza uma análise detalhada do abdômen da paciente, verificando os fatores de interesse, como: diástase muscular, localização do excesso de pele, estrias ou acúmulo de gordura.
Geralmente a cirurgia possui duas incisões: uma horizontal e outra vertical, que proporcionam a retirada de pele e rigidez dos músculos da região, propiciando uma barriga mais plana e a cintura mais definida. Os músculos são suturados, a pele em excesso é esticada para baixo (para remoção) e é feito um orifício para recolocar o umbigo em sua posição natural. 
Apesar de terem sido feitas duas incisões, após fechadas, resultam em uma única sutura na linha da região pubiana e uma dentro do umbigo, onde são alocadas as bandagens e curativos.
Muitas vezes, quando se realiza apenas a abdominoplastia , pode ocorrer uma sobra de gordura em áreas que o excesso de pele não foi retirado, resultando em um contorno corporal não tão definido. Por isso, em alguns casos, a lipoaspiração pode ser feita em conjunto com a abdominoplastia (lipoabdominoplastia), mas cabe ao profissional avaliar se a realização dos procedimentos em conjunto está recomendada para o paciente em questão. 
O pós-cirúrgico
Após o procedimento é normal que ocorra bastante inchaço, mas tomando-se os cuidados necessários, a recuperação costuma ser tranquila. Podem ser utilizados alguns drenos de aspiração no abdômen, evitando o acúmulo de líquidos na região. Alguns já são retirados antes da ida para casa e outros necessitam ser mantidos por mais tempo, mas são de fácil manipulação.
Nos primeiros 35 dias é obrigatório o uso de cintas pós-cirúrgicas, bem como evitar esforços físicos (inclusive descer e subir escadas) e procurar manter uma postura levemente curvada nos primeiros 15 dias. Até que haja liberação médica, não é indicado dirigir, usar roupas apertadas, se expor ao sol e fazer compressas quentes no local da sutura.
Nos primeiros dias, situações de dor e incomodo são normais, por isso, o médico costuma prever analgésicos para este período. Mas seguindo todas as recomendações que o cirurgião passar, a rotina é reestabelecida aos poucos após a liberação médica. 
Após a cirurgia, a cicatriz fica localiza na parte de baixo do abdômen, ficando escondida por peças íntimas. Seu tamanho varia conforme a extensão de pele que foi retirada, podendo ser mais centralizada ou ficando até as partes laterais da barriga. O resultado definitivo pode ser notado, aproximadamente, entre o oitavo mês a um ano de cirurgia. 

Complicações do pós-cirúrgico:

Geralmente, o procedimento pós-operatório ocorre sem maiores complicações. Porém, como qualquer procedimento cirúrgico, existe risco de desenvolvimento de trombose e/ou embolia pulmonar e o risco de infecções após realização da cirurgia. Além disso, cuidados especiais devem ser tomados com a cicatriz. 

É importante estar sempre atenta aos sinais, sobretudo à indícios de febre, dor intensa e corrimentos com mau cheiro, e sempre manter seu médico atualizado sobre cada situação. Em caso de dúvidas, sempre pergunte!

Outros aspectos importantes

É bom saber que existem alternativas para a gordura localizada, estrias e excesso de pele da região abdominal, não é mesmo?

Tenha em mente que um profissional qualificado será capaz de auxiliá-la e propor a melhor técnica para revitalizar sua estética e autoestima, levando em consideração sua saúde. Por isso, procure sempre um cirurgião especializado.



Gostou do conteúdo de hoje sobre a abdominoplastia? Comente logo abaixo suas dúvidas – estamos prontos para atendê-la!

Super bjs e que Deus te abençoe
Lu

Crédito: AESCARE

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Subir